Governo federal lança programa para usar mapeamento genético no SUS

Em cerimônia no Palácio do Planalto, nesta quarta-feira (14), o governo apresentou o programa Genomas Brasil, que tem como objetivo mapear 100 mil genomas como forma de prevenir doenças.

A portaria que cria o programa foi publicada no dia 5 de agosto deste ano no Diário Oficial da União (DOU). A publicação alterou a Portaria de Consolidação nº 5/GM/MS, de 28 de setembro de 2017, para instituir o Programa Nacional de Genômica e Saúde de Precisão – Genomas Brasil e o Conselho Deliberativo do Programa Genomas Brasil.

O investimento previsto para os primeiros quatro anos, de acordo com o governo, é de R$ 600 milhões. O governo espera “aperfeiçoar o entendimento das variações genéticas típicas da população brasileira possibilitando, futuramente, o acesso a tratamentos personalizados no Sistema Único de Saúde (SUS)”, informou o Planalto.

“A entrada do BNDES vai estimular que a a iniciativa privada também invista recursos”, disse o presidente, que aproveitou a cerimônia para elogiar a gestão de ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, à frente da pasta.

A principal meta do Genomas Brasil para os próximos anos é a criação de um banco de dados nacional com 100 mil genomas completos de brasileiros.

Para o governo, “esse banco permitirá compreender a relação entre genes e doenças na população, trazendo para o SUS melhorias como o acesso a diagnósticos mais precisos, a capacidade de prever e prevenir doenças e a personalização do tratamento com base na informação genética”.

O projeto sequenciará genes de portadores de doenças raras, cardíacas, câncer e infectocontagiosas, como a Covid-19. A escolha das doenças levou em conta a quantidade de casos no país e o alto custo que geram ao SUS.

 

FONTE ORIGINAL DA MATÉRIA: Metrópoles

Compartilhar: